quinta-feira, 16 de agosto de 2012

47 - Ensinar alguma coisa a alguém (um desses "segredinhos" do dia-a-dia)

Boa noite!

Sem preâmbulos:

Enviada por: Lu Monte, autora do blog Dia de Folga

Tarefa: Ensinar alguma coisa a alguém. Um desses "segredinhos" do dia-a-dia. A Lu deu dois exemplos pessoais disso: " Por exemplo, uma amiga me ensinou há tempos a fazer minhas unhas. Uma vez, ensinei a uma moça que vende salada de frutas que ela podia deixar as maçãs já cortadas, de molho em suco de limão (ela cortava na hora pra não escurecerem, e isso atrasava o preparo da salada; no fim das contas, ela adaptou minha dica e usa suco de abacaxi)." Gostei da possibilidade de poder realizar essa tarefa de uma forma espontânea, assim que surgisse a oportunidade.

Acabei realizando essa tarefa meio sem perceber e só depois a ficha caiu, ou seja, não foi algo planejado. Eu tinha pensado anteriormente em realizá-la e tentei me planejar para executá-la em um dia pré-determinado, mas aí achava meio estranho e artificial fazer as coisas dessa maneira, quase como se fosse "só pra constar". Resolvi esperar aparecer uma situação propícia e realizá-la quando ela realmente tivesse sentido.

Hoje eu ensinei a uma mocinha de 11 anos como lidar com cólicas naqueles dias do mês... Rsrsrsrs... Falei sobre compressas de água quente, posições confortáveis pra descansar e dormir, chazinhos da vovozinha e outras coisas do tipo. Ensinei também a ela em que situações não é adequado ela se maquiar e como ela deve tirar a maquiagem todas as vezes antes de dormir. São coisas que ela ainda não faz, mas que estão entre as suas curiosidades do momento. Ela é filha de uma das pessoas com quem trabalho e está toda encantadinha com esses pequenos grandes detalhes que fazem parte de ser mulher e quer entender quais são os códigos de conduta que regem algumas dessas coisas. Logo, ela pergunta tudo sobre "ser mulher", inclusive o que é isso. Eu, que acredito em mulheres cheias de conteúdo, bem resolvidas e independentes, expliquei as coisas dentro desses moldes (e disse a ela que essa é a MINHA forma de ver as coisas). Ela ficou super surpresa de saber que "ser mulher" é algo que não tem receita e que cada pessoa pensa sobre isso de uma forma. Sim, meninas, "ser mulher" é um mistério até pra nós mulheres e é algo que não se define facilmente. Agora, que as compressas quentes ajudam, isso é quase um consenso!

O que acharam da tarefa e da forma como a executei? Vocês lembram da última vez que ensinaram algo a alguém? O que foi que ensinaram?
Marina
__________________________________________________________________________________________
O projeto "365 ideias para viver melhor" consiste em realizar 365 tarefas diferentes sugeridas pelo leitores e, através delas, buscar ter uma vida mais significativa e mais interessante. Mande você também as suas sugestões de tarefas.

5 comentários:

  1. Você me lembrou um dos momentos que ficaram marcados na minha história. Eu estava dando aulas para uma quinta série (atual sexto ano). Minha experiência sempre foi maior com ensino médio, então era um desafio. Em uma aula, uma menina veio até mim e disse que precisava ir ao banheiro. Eu liberei, mas ela continuou me olhando com uma cara esquisita. Eu perguntei, delicadamente, se ela estava com algum problema. Ela pediu para que eu fosse até a porta com ela. Deixei, não sem medo (rs), os alunos um instante fazendo uma atividade e fui até a porta com ela. Ela então me contou que havia acabado de ficar mocinha pela primeira vez. Eu a tranquilizei, fui até a bolsa, peguei discretamente um absorvente e entreguei a ela. Tive que ensinar como usar (pense numa coisa estranha, rs). Ela foi ao banheiro e eu fiquei curtindo aquele momento tão memorável: a chegada da menarca na vida de uma mini-mulher. Nunca vou esquecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, esse é um momento realmente marcante e você foi tão carinhosa e cuidadosa com sua aluna, que só posso pensar que é uma excelente professora! Tem situações assim muito marcantes no trabalho com adolescentes e jovens, né? É uma idade de tantas novidades, inseguranças, descobertas... e deve ser muito gostoso ver esse processo dos alunos de irem crescendo, passando por novas experiências, descobrindo muita coisa... Só fiquei um pouco com dó da sua aluna porque ela nem sabia como usar o absorvente (coisa que a mãe ou alguém da família geralmente explica, né?). Também imagino você tentando explicar como faz sem constranger mais ainda a menina (e que situação, hein?!) mas ao mesmo tempo podendo presenciar um momento tão especial, que só acontece uma vez e que a gente lembra pela vida toda. É emocionante, para pessoas que têm essa sensibilidade.

      Abraço!

      Excluir
  2. Oi, Marina, tudo bem?Essa tarefa também foi legal, achei ótima...as pessoas são muito criativas para bolar tarefas.Foi uma boa ideia esperar o momento mais oportuno para fazer a tarefa,ficou mais natural,mas se vc tivesse realizado a tarefa em dia marcado,também seria legal. Ás vezes a gente sabe de alguém que quer uma dica sobre algo que dominamos mais.Achei singela a cena do diálogo entre a mocinha e você,e rica de significados.É bom ter alguém para conversar sobre essas dúvidas. Eu hoje ensinei uma amiga como chegar em determinado estacionamento de um shopping. E ontem seu pai me ensinou a como colocar arquivos na ordem que eu desejava que ficassem gravados no cd.Coisas simples mas que fazem a vida melhor.Um abraço grande.Lourdinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, as pessoas são muito cirativas mesmo!

      Acho que a gente ensina coisas para as pessoas de vez em quando, mas o que foi marcante foi ter parado pra pensar sobre isso e valorizar esses momentos. Quando faço isso eu não costumo perceber que fiz e a coisa tende a se perder, de alguma forma... é como se fosse mais uma coisa comum na minha vida e, na verdade, é algo a ser celebrado se pensarmos bem, né? O comentário da Medievas me fez perceber isso. De certa forma são esses momentos que a gente leva com a gente ao longo dos anos e que nos permitem transmitir alguma coisa da nossa experiência e ajudar alguém. Claro que existe a atividade de ensino sistematizada, mas a maior parte do que aprendemos acontece "no mundo" mesmo, o tempo todo. Muitas vezes a gente aprende a fazer as coisas imitando os outros, lendo livros sobre aquilo, sofrendo, passando pelas situações... e como é bom poder encontrar uma pessoa boa com alguma paciência disposta a nos dizer "Olha, você pode fazer isso dessa forma...".

      Conforme os anos passam percebo cada vez mais como devo ser grata à todas as pessoas que me ensinam alguma coisa. É uma generosidade que ajuda a gente a viver melhor e a passar pela vida mais leve, menos sozinho. Sem a ajuda dessas pessoas que nos ensinam esses "segredinhos" do dia-a-dia teríamos que aprende tudo dando cabeçadas por aí, na base da tentativa e erro e nossa existÊncia não seria suave em alguns aspectos.

      Saudade de vocês, viu?

      Excluir
  3. Aaaaw, achei tão fofo! Tenho certeza de que essa mocinha levará para a vida a lição de que não existe receita pra ser mulher - somos todas diferentes, e essa é a beleza da vida. =)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...